25 C
Nova Iorque
quinta-feira, agosto 11, 2022

Senador que votou por impeachment de Dilma diz que não houve crime de responsabilidade

Senador que votou por impeachment de Dilma diz que não houve crime de responsabilidade



Foto: Geraldo Magela | Agência Senado

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO), que votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, disse nesta quarta-feira (31/8), em vídeo publicado no Facebook, que não vê crime de responsabilidade nos atos praticados pela ex-presidente.

No vídeo, publicado em seu perfil oficial (ver abaixo), Acir Gurgacz justifica o voto pró-impeachment afirmando que faltaria “governabilidade” a Dilma caso ela retornasse à Presidência.

“Foi uma decisão muito difícil mas importante para o nosso país. Eu entendo que não há crime de responsabilidade, mas falta governabilidade para a presidente voltar a governar o nosso país. A volta da presidente talvez causasse um problema ainda maior para a economia brasileira, que já não está bem”, afirmou o senador do PDT.

“Votamos de acordo com a vontade da população brasileira, principalmente com a vontade da população do nosso estado de Rondônia”, declarou.

Segundo Gurgacz, “o plenário é soberano” e a motivação dos votos não é razão para questionar o resultado do impeachment no Supremo Tribunal Federal, como pretende a defesa de Dilma.

“O que vale é meu voto ou meu argumento? O que vale é meu voto, é o painel. Se o meu argumento é outro, o que importa é o voto. Eu fiz um estudo jurídico sem nenhum [fator] político. O resultado foi totalmente diferente, por unanimidade, não havia crime de responsabilidade”, declarou ao portal G1.

Segundo o senador, os votos a favor do impeachment foram motivados pela questão política, pela falta de governabilidade. Ele disse se basear em um estudo que analisou as contas de 2014. O período não foi alvo do pedido de impeachment mas, de acordo com Gurgacz, as manobras fiscais são as mesmas do mandato que foi interrompido nesta quarta.

“Estudei por três meses com vários técnicos do Senado, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica, do BNDES, mestres de universidades públicas, todos servidores de carreira. Chegamos a uma conclusão, não tinha nada a ver com impeachment, na época. Então, tenho que manter minha coerência”, disse, justificando a opinião de que não houve crime de responsabilidade.

Leave your vote

0 points

Upvote
Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%



comentários

Artigos relacionados

Stay Connected

0FãsCurtir
3,430SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Artigos Mais Recentes