23.7 C
Nova Iorque
quinta-feira, agosto 11, 2022

Muhammad Ali, um dos maiores da humanidade, morre aos 74 anos

Home >> BRASIL >> Menino de 10 anos rouba carro, atira na polícia e acaba morto em São Paulo

Muhammad Ali, um dos maiores da humanidade, morre aos 74 anos

Morreu na madrugada deste sábado (4/6) o ex-pugilista e gênio da raça Muhammad Ali, aos 74 anos, vítima de problemas respiratórios. A lenda do boxe e um dos grandes personagens da era humana também lutava contra o mal de Parkinson desde o início dos anos 80, pouco tempo após a sua aposentadoria, em 1981. Na última quinta-feira, seu porta-voz, Bob Gunnell, comunicou que Ali estava internado em um hospital de Scottsdale, no Arizona, EUA. O enterro será em sua cidade natal, em Louisville, mas os demais detalhes não foram revelados pelos familiares.

Foto: NYT

Perfil – Cassius Marcellus Clay Jr., seu nome de registro, nasceu em Louisville, no Kentucky, em 17 de janeiro de 1942. Mudou o nome para Muhammad Ali após converter-se ao islamismo, e escreveu uma história de lutas não só dentro dos ringues.

Campeão olímpico em 1960, nos Jogos de Roma, ele conquistou o título dos pesos pesados em 64, após vencer Sonny Liston. A revanche contra Liston aconteceu em maio do ano seguinte e terminou com um polêmico nocaute, e com a provocação de Ali, que ficou parado ao lado do rival e disse: “Levante-se e lute”, emendando ainda um palavrão.

Em 1967, Ali se recusou a servir o exército norte-americano na Guerra do Vietnã. “Por que me pedem para por um uniforme e viajar 10.000 milhas para jogar bombas e atirar em pessoas morenas no Vietnã, enquanto as pessoas chamadas de negras em Louisville são tratadas como cães e lhes negam direitos básicos?”, questionou ao ser interrogado pelo exército.

Por isso, foi banido do boxe por três anos, sentenciado a cinco anos de prisão e uma multa de US$ 10 mil. Em liberdade enquanto o caso era julgado, ele só voltou aos ringues em 1970, quando nocauteou Jerry Quarry no terceiro round.

No ano seguinte, travou com Joe Frazier a “Luta do Século”, a qual perdeu após 15 rounds, na sua primeira derrota como profissional. Também em 1971, a Suprema Corte dos Estados Unidos retirou as acusações de insubmissão, encerrando o imbróglio judicial.

Em janeiro de 1974, Ali teve sua revanche contra Frazier no Madison Square Garden, em Nova York, vencendo por decisão dos árbitros após 12 rounds.

Em 30 de outubro do mesmo ano, aconteceu a famosa luta contra George Foreman, no Zaire, quando Ali recuperou o cinturão dos pesos pesados nocauteando o adversário no oitavo round.

Foto: NYT

Outra briga de Ali foi contra o racismo, relacionando-se diretamente com líderes da causa, como Martin Luther King e Malcolm X. Em sua biografia, ele conta que certa vez negaram lhe servir em um restaurante, mesmo apresentando-se como campeão olímpico, apenas por ser negro. Irritado, atirou a medalha de ouro no Rio Ohio. Em 1996, foi homenageado na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Atlanta. Além de carregar a tocha olímpica, recebeu uma réplica da medalha que ganhou em 1960.

Em 1999, foi eleito “O Desportista do Século” pela revista americana Sports Illustrated. Este foi apenas um dos diversos prêmios que ganhou em reconhecimento aos seus feitos. Em seus 21 anos de carreira profissional foram 56 vitórias, sendo 37 por nocaute, e apenas cinco derrotas. Com informações do ESPN.

comentários



Última atualização: 06/04/2016 ás 2:50 AM

Artigos relacionados

Stay Connected

0FãsCurtir
3,431SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Artigos Mais Recentes