Atualizado em: 03/01/2017 19:49

Quatro PMs são assassinados no Rio em apenas dois dias de 2017

Em apenas dois dias, quatro policiais militares foram mortos no Rio de Janeiro. Na manhã de domingo, primeiro dia do ano, o soldado André Willian de Oliveira foi encontrado morto no interior do seu carro em uma rua do bairro de Guadalupe, na zona norte do Rio. O policial era lotado no 3º BPM, no Méier, e o caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. As informações são do 41º BPM (Irajá).

Ainda no domingo, o policial Antônio Carlos Paiva Nunes, de 34 anos, foi baleado na cabeça, durante confronto na Avenida Leopoldo Bulhões, próximo a Manguinhos, zona norte da cidade. O soldado trabalhava na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Andaraí e estava de serviço na supervisão da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). Ele chegou a ser socorrido no Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, mas não resistiu aos ferimentos, e teve a morte cerebral confirmada pelos médicos na tarde de ontem (2). Paiva estava na corporação desde setembro de 2011 e não tinha filhos.

Ontem (2), mais um policial militar morreu e outro foi ferido por estilhaços ao entrarem em confronto armado na porta da agência do Bradesco, em Guapimirim,na Baixada Fluminense. Dois homens numa motocicleta abordaram os policiais reformados, que prestavam serviço como seguranças, portando um malote de valores que seria depositado no banco.

Houve confronto armado em reação ao roubo. Os policiais foram socorridos ao Hospital Municipal de Guapimirim, onde um deles não resistiu aos ferimentos e morreu. O outro está internado em estado estável, no mesmo hospital. Os criminosos conseguiram fugir e o caso está a cargo da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense.

Na própria Baixada foi registrada mais uma morte, ainda nesta segunda-feira. O 15°BPM (Duque de Caxias) foi acionado em razão de um homem encontrado morto a tiros dentro do carro na Estrada do Tinguá, em Xerém. No local, os PMs constaram tratar-se de um policial militar. O fato também está sob a responsabilidade da especializada em homicídios da Baixada Fluminense. Em nota, a Polícia Militar lamentou as mortes.

Recompensa – O Disque Denúncia oferece uma recompensa de R$ 5 mil pelos criminosos responsáveis pelas mortes dos policiais. O órgão ainda tem uma campanha intitulada #Basta, que visa a incentivar o recebimento de denúncias relacionadas à execução de policiais e valorizar os policiais do Rio de Janeiro.

A denúncia pode ser feita pelo número (21) 2253-1177 ou pelo aplicativo Disque Denúncia Rio disponível para celulares com sistema de configuração IOS e Android.

Em números registrados até outubro do ano passado, 556 policiais ficaram feridos e 115 foram mortos no estado. Os números foram apresentados durante sessões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio que apura as causas de mortes e incapacitações de profissionais de segurança pública no Estado.

comentários