Em meio a inferno astral, Vitória joga por “objetivo do ano” contra o Paraná

Em jogo, o objetivo de um ano inteiro. Aquilo que move diretoria e jogadores em torno de um planejamento para nortear a temporada. Na noite desta quarta-feira, o Vitória vai entrar em campo no Durival Britto, contra o Paraná, para não deixar pelo caminho a principal missão estabelecida pelo diretor de futebol do clube: o título da Copa do Brasil. É em Curitiba que o Rubro-Negro vai jogar todas as fichas para manter o sonho de levantar a taça.

Mas a meta é ainda mais complicada, já que, no jogo de ida da quarta fase, no Barradão, o time baiano foi derrotado por 2 a 0. Agora precisará vencer por três gols de diferença para seguir no torneio. Um triunfo por dois gols de diferença também garante vaga para o Vitória, desde que o placar seja superior a 2 a 0. Mas eis a questão: neste ano, o Paraná sofreu apenas três derrotas e nenhuma delas foi por dois gols de diferença. Para piorar, a equipe paranaense sofreu apenas um gol jogando na Vila Capanema.

Ok, ok. A missão é difícil. Já entendemos. E não poderia ter chegado em pior momento para o Leão. Até a semana passada, o Vitória era o time de melhor campanha entre os clubes da Série A: tinha o maior número de triunfos, aproveitamento de 89% no geral e de 100% no estadual. Em uma semana, viu o rendimento cair depois da derrota em casa para o Tricolor paraense – o primeiro revés no Barradão nesta temporada – e os 100% do Baianão sucumbirem a um empate com o Vitória da Conquista.

E os desfalques? Ah, os desfalques… Três no total. E dos importantes. Kieza segue no departamento médico, Gabriel Xavier foi diagnosticado com uma lesão grau 1 na coxa e Paulinho, que geralmente substitui Xavier, está suspenso.

Certo que nem tudo está perdido. “O jogo só acaba quando termina”, já diriam os entendidos. Então chega o momento de ousar e correr trás do prejuízo como quem vai tirar a mãe da forca. Vale esconder a escalação, como Argel Fucks escolheu fazer, e lançar mão do velho elemento surpresa. E ele deve vir no meio de campo. Pineda aparece na disputa, mas Euller, que também joga de meia, pode surpreender. O lateral/meia ainda pode atuar como meia-atacante e fazer a vez de ponta pela esquerda. Na zaga, Alan Costa deve dar lugar a Fred, que é uma boa arma nas bolas paradas. O provável time do Vitória é formado por: Fernando Miguel; Patric, Kanu, Fred e Geferson; Bruno Ramires, Willian Farias, Cleiton Xavier e Euller; David e André Lima.

Via GEsporte

Leave your vote

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

comentários

Hey there!

Forgot password?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Close
of

Processing files…