Menu

Bernardinho deixa comando da seleção masculina de vôlei após 16 anos

Depois de quase 16 anos à frente da seleção brasileira masculina de vôlei, o técnico Bernardo Rocha de Rezende, o Bernardinho, deixou o cargo nesta quinta-feira (11/1). Seu substituto, apresentado oficialmente pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), é o ex-jogador da seleção Renan Dal Zotto, que fez parte da chamada “geração de prata” do voleibol brasileiro junto com outros atletas famosos como Montanaro, William, Bernard, o próprio Bernardinho e Carlão.

Segundo informou o diretor de seleção da CBV, Radamés Lattari, “Bernardinho agradeceu o convite para continuar como treinador, mas preferiu ter um tempo agora para se dedicar um pouco mais à família, às coisas dele, e ele vai continuar colaborando da melhor forma que julgar com o trabalho do Renan, que foi escolhido pelo presidente Toroca (Walter Pitombo Laranjeiras) como novo treinador”.

Lattari assegurou que não haverá novas modificações nas seleções. José Roberto continua técnico da seleção feminina brasileira de vôlei e Renan assume a seleção masculina a partir desta quinta. As informações são da Agência Brasil.

Carreira – Bernardinho chegou ao comando da seleção masculina em maio de 2001, às vésperas da Liga Mundial daquele ano – da qual sairia campeão. Antes, foi técnico da seleção feminina de vôlei, time com o qual conquistou duas medalhas olímpicas de bronze: em Atlanta em 1996 e em Sydney, em 2000.

Nos últimos anos, somou mais de 30 títulos como técnico da equipe masculina. Bernardinho conquistou dois ouros olímpicos: em 2004, em Atenas e 2016, no Rio de Janeiro. Também levou duas pratas em 2008 e 2012 e três títulos mundiais: 2002, 2006 e 2010, além de oito Ligas Mundiais.

Como técnico da seleção masculina, Bernardinho disputou todas as finais olímpicas e mundiais nos últimos 16 anos.

comentários