qua. nov 25th, 2020

Comunica Bahia

Sua fonte de notícias

COVID-19: Grupo Fleury participa de estudo brasileiro inédito publicado na Revista Science

A Science, uma das revistas científicas mais importantes do mundo, acaba de publicar um artigo inédito sobre as características de disseminação pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil. Intitulado “Evolution and epidemic spread of SARS-CoV-2 in Brazil”, o artigo  é fruto de um estudo coordenado pela cientista Ester Sabino, pesquisadora do Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMT-FM-USP), em parceria com a Universidade Oxford, no Reino Unido, e tem como coautores Celso Granato, diretor clínico e infectologista do Grupo Fleury, e Carolina Lázari, também infectologista do Grupo, além de pesquisadores de outras instituições.

O estudo traz duas principais conclusões sobre a forma como o novo coronavírus começou a se espalhar pelo Brasil.  A primeira mostra que a transmissão do novo coronavírus foi causada por três cepas diferentes do SARS-CoV-2, todas vindas da Europa. A segunda indica que a disseminação ocorreu inicialmente dentro das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, avançou pelo interior destes estados e, depois, chegou a outras regiões por pessoas contaminadas que viajaram de avião.

“O estudo nos traz informações sobre a trajetória de disseminação do vírus pelo território brasileiro. Concluímos que o vírus foi levado a partir de centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro por transporte aéreo interestadual para regiões como Amazonas, Pará e Ceará, o que também nos ajuda a entender a explosão de casos de COVID-19 nesses estados logo no início da pandemia no Brasil”, explica Celso Granato, diretor clínico do Grupo Fleury e um dos coautores da pesquisa. “Essa informação é importante também porque conseguimos avaliar a eficácia das medidas de controle da epidemia que foram adotadas no Brasil, como, por exemplo, os deslocamentos de pessoas por voos domésticos”, completa.

Os cientistas chegaram às conclusões a partir do sequenciamento genético de material recolhido em 427 amostras de exames positivos para SARS-CoV-2, realizado pelo método tipo RT-PCR. As amostras foram coletadas entre 5 de março e 30 de abril de 2020, em 18 estados brasileiros. Do total de amostras, parte foi cedida pelo Grupo Fleury à pesquisa. A participação do Grupo Fleury foi possível em razão da liderança da marca no desenvolvimento do teste para detecção do novo coronavírus pelo método RT-PCR para identificação de pacientes com COVID-19 logo nas primeiras semanas da epidemia no Brasil.

Para se ter uma ideia, a área de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Fleury desenvolveu o teste em apenas uma semana e disponibilizou aos seus hospitais parceiros em São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul e Distrito Federal no dia 14 de fevereiro, 11 dias antes da confirmação do primeiro caso brasileiro, em 25 de fevereiro.

Mais informações sobre o estudo em

https://science.sciencemag.org/content/early/2020/07/22/science.abd2161.

Sobre o Grupo Fleury 

Com mais de 90 anos, o Grupo Fleury é uma das mais respeitadas organizações de medicina e saúde do Brasil, reconhecido pela comunidade médica e opinião pública pela excelência técnica, médica, em atendimento e em gestão. Com mais de 10 mil colaboradores e cerca de 2,5 mil médicos, a empresa conta com cerca de 250 unidades de atendimento das marcas Fleury Medicina e Saúde, a+ Medicina Diagnóstica, Weinmann Laboratório, Serdil, Clínica Felippe Mattoso, Labs a+, Lafe, Diagnoson a+, Diagmax, Instituto de Radiologia de Natal, CPC e Inlab. Além de medicina diagnóstica, operações diagnósticas em hospitais e de laboratório de referência, o Grupo Fleury tem avançado fortemente em medicina personalizada e de precisão, por meio do seu braço de negócios de Fleury Genômica, e em saúde corporativa e atenção primária, com a marca SantéCorp.