sex. ago 14th, 2020

Comunica Bahia

Sua fonte de notícias

Hidroxicloroquina não tem efeito favorável em tratamento contra Covid-19 em pacientes leves e moderados, diz estudo brasileiro

No maior estudo brasileiro publicado até agora, pesquisadores apontam que a hidroxicloroquina não teve eficácia no tratamento de pacientes com casos leves a moderados de Covid-19. A pesquisa foi publicada nesta quinta-feira (23) na “New England Journal of Medicine”.

O estudo foi conduzido pelo Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Hospital Sírio-Libanês, Hospital Moinhos de Vento, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, o Brazilian Clinical Research Institute (BCRI) e Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva (BRICNet).

De acordo com os pesquisadores, foram analisados 667 pacientes com quadros leves ou moderados. Eles foram atendidos em 55 hospitais brasileiros. Por sorteio, eles foram divididos em três grupos: um com 217 pacientes recebeu hidroxicloroquina e azitromicina, outro com 221 pacientes recebeu hidroxicloroquina e o terceiro, com 227 pacientes, apenas suporte clínico padrão.

“O status clínico (…) foi similar nos grupos tratados com hidroxicloroquina e azitromicina, hidroxicloroquina isolada ou grupo controle”, apontou o estudo.

Em um período de 15 dias, os pesquisadores afirma que estavam em casa sem limitações respiratórias:

  • 69% dos pacientes do grupo hidroxicloroquina + azitromicina + suporte clínico padrão;
  • 64% dos pacientes do grupo hidroxicloroquina + suporte clínico padrão;
  • 68% dos pacientes do grupo suporte clínico padrão.

A interpretação dos autores é que “a utilização de HCQ ou Azitromicina não promoveu melhoria na evolução clínica dos pacientes”.

Em relação a morte de pacientes, o número em 15 dias foi semelhante entre os grupos, em torno de 3%.